O céu do Matutu

O céu do Matutu

“O melhor lugar do mundo é aqui… e agora…”

 

Tenho pensado muito nesta história de lugar. Qual é o melhor lugar no mundo, para mim? O meu lugar?
Escrevo, hoje, neste lugar no mundo que tanto adoro. Meu bom e velho Matutu. Uhm… covardia.

 

Estou aqui, em pleno feriado. Dias lindos de final de verão. E a lua cheia nos brindando. Que covardia escrever sobre no Matutu, em pleno Matutu. No Matutu aqui e agora.

 

Da janelinha do quarto do chalé, interajo com o pomar, com o sol, e com a quietude do começo de tarde. Meu marido descansa no quarto ao lado, aquele soninho dos justos, logo após o almoço delicioso do Matutu.

 

Está certo que, Matutu, para mim, significa mais que o Vale do Matutu, em plena Serra da Mantiqueira, um vale pertencente ao município de Aiuruoca, no estado de Minas Gerais.

 

Também significa ficar na Pousada do Matutu, adminstrada e gerenciada pelos irmãos Cândido e Paulo Machado.

 

Então, quando eu falo, vou para o Matutu, significa que vou para este lugar tão único e belo que acho que é o meu lugar no mundo.

 

A minha casa, a minha Granja Viana, são lugares de que gosto muito. A primeira está em plena reforma, e vibro muito para que um dia consigamos terminá-la e que ela espelhe toda a nossa necessidade de conforto, charme e aconchego.

A segunda está mudando muito… mas ainda mantém muito do charme de uma cidade afastada de São Paulo, com a vantagem de se poder usufruir da capital, principalmente se isto se der nos horários de contra-fluxo (que já estão escasseando…).

 

É no Matutu que me recolho, que caminho com a intenção de ir e vir aos lugares e ao encontro das pessoas de que gosto muito.

 

É no Matutu que descanso e que recomponho as minhas energias. É no Matutu que percebo nitidamente as quatro estações do ano. É no Matutu que me deslumbro com o céu estrelado, o lindo e estonteante céu do Matutu.

 

É pelo céu, é pela terra, é pela água, o fogo e o ar do Matutu, que aqui estou.Meu marido adora aqui. Meus filhos adoram aqui.

 

Eu, recentemente, disse a eles que o Matutu, para mim, era sinônimo da “minha casa de praia”, do “meu sítio”.  Aquele lugar para o qual eu quero sempre voltar. Pode ser que um dia, inclusive, eu venha a aqui morar. Mas, por enquanto, neste exato momento, é aqui que gosto de vir e descansar.

 

Ler, estudar, escrever… namorar… curtir meus filhos, o entorno, as pessoas. Simples assim, como o Matutu. O Matutu… é o meu lugar…

 

E você, tem um lugar para chamar de seu?

 

o céu do Matutu
o mel do Matutu
meu Matutu

 

Sem Comentários

Postar Comentário